terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O Club de Regatas do Flamengo e a Ordem dos Pastores Batistas do Brasil

Não me atreverei a escrever o que o CRF e a OPBB têm em comum. Pode até não parecer, mas não perdi o senso de preservação. Pelo contrário, ainda dou ouvidos ao meu sentido de sobrevivência, o que não quer dizer que seja guiado pelo “mais vale um covarde vivo do que um herói morto”. Então, falarei sobre um aspecto em que ambos – CRF e OPBB – têm em “in –comum”: a mulher.


A presidência do Flamengo, o club de futebol com a maior torcida do mundo – reconheço constrangido – agora é presidido – reconheço com alegria - por uma mulher. Patrícia Amorim é a primeira mulher eleita para o cargo em 114 anos de história.




 "Ser a primeira mulher presidente do Clube de Regatas do Flamengo, maior clube do mundo, é maior do que qualquer sonho que eu pudesse sonhar. E eu sonhei, E eu cheguei", disse a ex-nadadora. Ela deve assumir o cargo no início de janeiro para um mandato de três anos (2010/11/12).”

Sim, senhoras, o futebol, um dos redutos mais machistas do mundo já se abriu para ver a mulher com outros olhos. De símbolo sexual embelezando os estádios, elas, que começaram a conquistar espaços políticos inicialmente como bandeirinhas, agora chegam à presidência do club campeão brasileiro de 2009 (penta, segundo a CBF, pois em 87 foi campeão do Club dos Treze e não do brasileiro).


Isso significa que, doravante, nos acostumaremos com a presença de uma mulher influenciando a cúpula do esporte mais popular e machista do mundo, no mais importante país de futebol do planeta.


E a OPBB com isso? A Ordem, à luz desse acontecimento histórico no futebol, continua, neste aspecto, na idade da pedra. Nela, mulher não pode sequer ser sócia, ainda que já haja pelo menos 100 pastoras batistas em igrejas da Convenção Batista Brasileira, diversas seções estaduais já admitiram pastoras e até presidência de convenção estadual e nacional já tenha sido ocupada por elas.


A decisão pela rejeição da presença feminina na OPBB foi resultado de uma votação bastante apertada e, por isso, o assunto continua burbulhando. Em face disso, os principais dirigentes transitórios dos batistas – por convicção pessoal ou conveniência política - andam com uma mangueira de água fria evitando o incêndio que não para de arder mineiramente pelas beiradas.


Por que o Flamengo tem uma mulher na presidência, a exemplo de grandes nações ou empresas multinacionais, e a Ordem dos Pastores Batistas sequer as aceita como sócias? A resposta dos que venceram politicamente pelo voto é: a Bíblia diz. Digo, entretanto, com o maior respeito e carinho, sem querer entrar em discussões político-teológicas e já entrando: a Bíblia não diz, são os olhos que lêem.


Nunca imaginei, como torcedor do glorioso Santos Futebol Club, que um dia diria com tanta alegria: “parabéns Flamengo!”. Por isso alimento a esperança de um dia também dizer, em relação ao modo de relacionar-se com as mulheres: “Parabéns Ordem dos Pastores Batistas do Brasil”.

10 comentários:

Eufrázio 8 de dezembro de 2009 09:04  

Meu nobre, Edvar!
Seu texto é muito rico e feliz: acertou na mosca!
Entre o flamengo e as nossas instituições batistas muitas comparaçãoes e analogias são cabíveis:
1- O Flamengo foi crescendo com consistência e avançando rumo ao alvo! As nossas instituições não podem crescer por lhes faltarem alvos, rumos, nortes claros em que todos podem perseguir como uma equipe!!!
2- O flamengo conquistou por não ter um medalhão. Foi um time médio, mas que todos se empenharam e deram o seu melhor. Inclusive o gol do título foi marcado por um cearense que nunca tinha feito um gol. Ironicamente esse foi o seu único gol no campeonato. Aí está... em nossas instituições os gols já estão programados: fulano bate o escanteio, sicrano cabeceia. Que outro não se atreva a querer cabecear ou a bater o escanteio!!!
3- Quando o gol do Cearense aconteceu todos comemoraram, pois era vitória de todos... Entre nós quando acontece um gol que pode valer o título, ocorrem muitos comentários, análises, reflexões, mas jamais o abraço de comemoração é oferecido. O atlheta que enxergou a oportunidade e pulou marcando o golaço do título acaba ficando envergonhado por ter subido na bola e vencido os adversários...
4- Quando o jogo acabou todos os atlhetas do flamengo comemoraram: "Somos campeões brasileiros"... Quando o nosso jogo acabar acho que só alguns, uns poucos, irão comemorar, porque a vitória não foi nossa. Não marcamos o gol decisivo.
Há espaço para mais analogias, mas por enquanto é isso!
Eufrázio Araújo

Anônimo 8 de dezembro de 2009 09:49  

Não sei se posso mais vou me fixar apenas ao jogo em si, sendo o menos importante para quem entendeu a proposta do texto do pastor.
Esse titulo, como outros do flamengo, sinceramente, tem pouco valor na minha opinião, foi ajudado pela arbritagem o tempo todo, a globo queria o Fla campão, o Gremio, rs, foi um otimo ator, faltou tomar o gol aos 45 do segundo pra ganhar o oscar, rsrsrs.. e quem não sabia disso a uma semana atrás.

Utahy 8 de dezembro de 2009 10:27  

Grande Edvar, meu Flamengo me dá alegrias e tristezas, eu me importo com ele, acompanho seu dia a dia. A OPBB, em mim pelo menos, me é completamente indiferente, irrelevante. Fazem bem as igrejas que pouco se importam com o que ela acha ou deixa de achar. Porque é achismo o argumento que diz ser bíblico impedimento de mulheres no comando de igrejas.
Seu texto está ótimo. Seu blog é um dos poucos (entre os escritos por evangélicos) que leio, regularmente.
Vamos ver se em 2010, com Dorival Jr., seu Santos apresenta alguma coisa. O meu Flamengo deverá ser tetra carioca, faturará a Libertadores e, quem sabe?, ganhará o bi do Brasileirão.
Um abração do admirador (seguidor, não).

dalmariomarcel 8 de dezembro de 2009 14:34  

Também acho que foi tudo muito arrumadinho. Jogar sem 08 titulares no Maraca, cá com os meus botões,a festa já estava de cartas marcadas embora os reservas tenham dado um sufoco naquela defesa horrível do Flamengo. Do jeito que o Flamengo entrou em campo, o Grêmio com os titulares teria dado o rítmo da dança. Mas gostei Edvar do seu posicionamento sobre a Mulher. É uma pena que elas ainda estejam vivendo diante desse bloqueio, o que para mim, soa como um preconceito chapado de medo. Torço para que em breve, elas estejam com liberdade nas Ordens de seus Estados e, consequentemente na OPBB. Um abração.

Emerson Araujo 8 de dezembro de 2009 17:41  

Mais uma vez Edvar dar provas de imensa coragem e independência. Tive a felicidade de aprender muito sobre o ministério com esse homem de Deus. A propósito do texto, enquanto a OPBB fecha suas portas para nossas pastores o trabalho destas frutifica porque é abençoado pelo verdadeiro dono da seára.

Anônimo 8 de dezembro de 2009 23:04  

MEU PASTOR !
Vc é a única pessoa merecedora desse título.
A OPBB tá mais para o Náutico do que para Flamengo. Mesmo assim prefiro o meu time que mesmo caindo, tenta, sonha e luta para melhorar. A ordem(existe?)está na idade média.

Marcos Lima

Glau 9 de dezembro de 2009 16:05  

Texto bem escrito e claríssimo!!! Tanto para os Flamenguistas, quanto para os Gremistas mas, especialmente para os Batistas que também termina o nome com "istas". A causa de cada um é diferente porém o comando é para quem pode. Infelizmente as mulheres ainda causam MEDO em muitos homenzinhos. Parece que o Deus deles é muito pequeno, não? O pior será quando tiverem a certeza que Deus pode ter sido mulher também rsrs. Será que iremos rir? Alguns estudos mostram isso. Parabéns, Edvar. Agora, se prepare para as pedradas pela coragem...

Anônimo 9 de dezembro de 2009 22:30  

Prezado Edvar, por razões de ordem técnica, que desconheço, impediu-me de comentar o seu texto 'CRF e OPBB...no campo recomendado, faço-o, agora: Finalmente, as viúvas do futebol elegeram uma lidima representante para presidir uma das mais - se não a mais - importantes organizações do Brasil. Elas, - as viuvas - que assim se consideram - não podem reclamar pois fazem parte desse universo. E, OPBB? da certa uma forma permanece fiel a um texto que diz: 'Permaneçam as mulheres calaaaaaadas, - o grifo é meu - assim,só restou às mulheres o diaconato,o que fazem com brilhantismo há seculos o que também, não parece ser uma concessão dos machistas. Tenho pra mim que a OPBB tá mais pra chiita do que batista.
Aldezir Rego

Batistão 10 de dezembro de 2009 16:47  

Primeiro vamos ordenar mulheres ao pastorado. Depois vamos ordenar homossexuais assumidos ao pastorado. A Igreja anglicana nos EUA fez isso. Em nome da "diversidade" "inclusão" começaram a ordenar mulheres, e depois bispos homossexuais. Fazendo uma "nova leitura da Biblia".

Parece que o liberal, politicamente correto, pastor Edvar esta indo para o mesmo caminho. Tudo em nome da "inclusão".
Fazendo uma leitura Bibliaca de que todas as religiões levam a Deus, mulheres podem ser pastoras, homossexuais poderão se casar.

E faço uma pergunta: A Biblia diz que o Homem é a cabeça da casa. E a Mulher deve lhe seguir. E o marido de uma "mulher pastora" como fica? Em casa ele é o lider, mas quando chegar na Igreja a Mulher passa a lidera-lo?

Antonio Eça 12 de dezembro de 2009 13:29  

Pastor Edvar,

Que feliz comparação e modelo de referência: uma entidade de natureza laica, secular, regida pelas paixões humanas e pelo amor ao dinheiro, servir de modelo e inspiração para alguém que se entende pertencer a uma sociedade de natureza Divina e voltada para os mistéios do Reino, que via de regra, parece raciocinar com paradigmas entendidos como loucura perante a razão secular. E a Tradição da Igreja, os Mártires, o sentir de homens e mulheres do deserto e dos alienados deste mundo, onde ficam? Quer dizer dos milhares e milhares de santos e santas (esta tão grande nuvem de testemunhas dos quais o mundo não é digno), que "pensaram" e visualiizam a mulher ou o sacerdócio por outra perspectiva, diferente do humanismo secular ou da teologia acadêmica da modernidade? Todos estes são obsoletos, anacrôncos? Os condicionamentos culturais foram mais fortes, sobrepujando a força inspiradora do Espírito? Que maravilha de referência o Clube de Regatas Flamenngo. Não sabia que além de um show de bola eles dão um show de percepção espiritual.

Parabéns Pastor.