terça-feira, 7 de setembro de 2010

Esther Lemos e o posicionamento do Pr. Paschoal Piragine Jr. sobre as eleições 2010



 Prezado Pr. Paschoal,
Venho manifestar meu espanto e ao mesmo tempo minha decepção quanto ao seu posicionamento frente às eleições 2010, realizada no púlpito de seu ministério e registrada no site da Primeira Igreja Batista da Curitiba da qual é pastor e ao mesmo tempo presidente.

Sou membro da Igreja Batista Central em Toledo PR, também filiada à Convenção Batista Brasileira. Recebi este conteúdo via e-mail, o qual por sinal está circulando como vento!

Um dos valores mais caros mantidos pela instituição Batista não apenas no Brasil, que vem nos últimos anos sendo absolutamente destruído por nossas lideranças religiosas, tem sido a democracia e o princípio democrático da separação Igreja e Estado.

No início de sua manifestação afirmou que em 30 anos de ministério nunca realizou o que fez neste dia (não sei a data exata pois no vídeo não expressa, mas entendo que deva ser agosto/2010). Até então posso dizer que era uma liderança lúcida que não tinha sucumbido às tramas da luta pelo poder político no nosso país.

Não quero entrar no conteúdo da sua manifestação e das outras lideranças religiosas que se uniram num movimento nacional “para impedir que a iniquidade seja institucionalizada em forma de lei”. 
Mas me causa indignação saber que a mesma manifestação não foi referente a “iniquidade” naturalizada diante da pobreza de milhões de brasileiros e brasileiras e a respectiva exigência de leis que suprimam de nosso país a desigualdade social.

Diante de tal dissonância num contexto complexo e nebuloso de perpetuação da injustiça social, fiquei “arrasada” em ouvir e ver tal discurso, no dia de ontem (02 de setembro de 2010). 
Sua voz ecoou diante de milhares de cidadãos(ãs) que, talvez no único espaço que ainda resistia à massificação, buscam sinceramente autonomia e desenvolver o livre pensamento ao mesmo tempo recebendo orientação espiritual para suas ações no mundo presente.

A referência ao Partido dos Trabalhadores foi absolutamente infeliz e tendenciosa. Realizada por alguém que revelou publicamente desconhecer a luta histórica de uma organização da sociedade civil que, com todas as adversidades de qualquer organização humana, buscou agregar e tem colocado como projeto para a sociedade brasileira o fim das desigualdades. 
Obviamente projeto que não é compartilhado por todos. Porém, muitos cristãos como eu, ao longo dos anos de democratização de nosso país, encontraram como cidadãos e cidadãs deste mundo, o espaço para fazerem valer a luta pela justiça social e pela paz. Projeto que a igreja brasileira, especialmente de tradição Batista, insistindo no princípio da separação Igreja e Estado, optou em não se posicionar publicamente, orientando a livre associação de seus membros. Para nossa realidade uma decisão sábia! 
No contexto atual, em plena campanha eleitoral no país, a manifestação pública de seu posicionamento deve ser denunciada como uso deste espaço para outros fins que não os propostos pela natureza da organização da qual é presidente. Não entendo que tenha sido irrefletida, mas fruto de uma decisão pessoal ou talvez compartilhada pelo grupo dirigente da PIB Curitiba.

Diante do fato, no mínimo espero uma reparação pública tendo em vista nossa tradição denominacional ou, diante de sua inexistência, a capitulação do princípio democrático de separação Igreja/Estado e da luta histórica de constituição de um Estado laico no país.

Com todo o respeito que tenho à nossa organização denominacional, manifesto esta solicitação desejando que tenhamos lucidez e discernimento para de fato fazermos diferença e influirmos nos rumos de justiça e paz da sociedade por nós constituída.
Respeitosamente,
Esther Lemos

...

2 comentários:

Anônimo 9 de setembro de 2010 15:37  

Quero dizer aos Irmãos em CRISTO. que não teho vinculo politico!...Sou Mulher que honra os pricipios de DEUS,Sou Batista que lê a Bilblia,e sei que democracia é participar e para mim. Está de parabens o pocionamento do Pr.Pascoal Piragine. pois ele tem a corajem de falara a verdade para tentar ajudar aquele de mentes fechadas que vivem dentro das igrejas sem quere participar da luta do cotidiano. muitas vezes essa frase deixa que cada um vota em quem achar melhor!é posicionamento de quem acha que a vida cristã é pra ser levada de qualquer jeito!
Olha Jesus ele foi até chamado de revoluçionario por muitos sabem porque? porque ele defendia um povo, um reino que não se rende á iniquidade e nem a falsidade e nem os politicos corruptos que visam somente dinheiro, fama e não o Reino de Deus. Como se Calar? Igreja que se diz ser a Casa de Deus! Não sou Politico e nem faço Politica .Apenas tenha a Mente esclarescida na palavra ! Não se engane achando que defender os Homens desse mundo é a solução para o Brasil.O Brasil Precisa Orar pois suas igrejas estão cheios de Politicos que se dizem ser da Igreja! Más Vêja se realmente a IGREJA ESTA DENTRO DELE!E A IGREJA PARA MIM REFLETE CRISTO. OLHEMOS COM MAIS CARINHO E SABEDORIA O ALERTA DO PASTOR PASCOAL.
SOU BAHIANA DO INTERIOR DE XIQUEXIQUE/BA.
ASS: GILDA MUNIZ.

Gênesis 14 de setembro de 2010 17:43  

Apoiada. A Senhora ester falta ao respeito a um homem de Deus e depois vem falar em "respeitosamente". Jamais vi o Lula ou Dilma comentar algo sobre as crianças que morrem aos milhares por causa do aborto. Só vejo falarem em "política de saúde pública" oque deixa nítido odesvio de conversa que deveria ser nãosó as mulheres agredidas com o aborto mas as crianças também.