quinta-feira, 22 de março de 2018

Prisão para codenados em segunda instância




Hoje é um dia muito importante na história do nosso país, tendo o STF como protagonista. Nenhum, repito N E N H U M brasileiro deveria estar alheio ao assunto. Não me refiro à decisão que o Supremo tomará sobre o pedido do ex-presidente Lula para livrar-se da eminente e inevitável prisão que mais dia, menos dia acontecerá. Falo da prisão imediata ou não de condenados em segunda instância.

De 194 paises ligados à ONU, o Brasil é o único que está dividido entre prender ou não  condenados em segunda instância. Todos os demais prendem em primeira - caso dos Estados Unidos - ou segunda.

Não por acaso estamos em 96 lugar no rancking da corrupção, pelo qual o número 1 é o menos corrupto.

Lamentavelmente não podemos contar com o apoio de grande parte de militantes político-partidários, seja de esquerda ou de direita, pois parcela significativa está preocupada em salvar a pele de algum de seus dirigentes envolvidos em falcatruas.

Tenho, também, consciência dos prejuizos que sofrem os que se posicionam pelo combate à corrupção, inclusive porque alguns dirigentes eclesiástico-denominacionais, como muitos militantes político-partidários, por enxergarem ganhos para si ou às instituições que estão ocupando cargos, preferem a política do silêncio ou, pior, de combate, de marginalização a quem se posiciona. Não sabem ou preferem parecer não saber que Deus lhes pedirá contas pelo pecado da omissão. 

Não desejo que a conta da omissão recaia sobre alguém de sua família ou sobre uma pessoa querida de sua igreja ou sobre um líder de sua denominação. Antes desejo que se arrependa, ié, que mude de mentalidade e que, se prefere não militar contra esse mal que silenciosamente destrói nossas vidas, pelos menos ore em favor daqueles que decidiram não ficar omissos, em vez de difamá-los.

Que Deus tenha misericórdia de nós.

https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2018/03/22/veja-o-que-dizia-gilmar-mendes-quando-guerreava-pela-prisao-na-2a-instancia/

 








0 comentários: