terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Agenda pastoral 2010

Considerando ser este o primeiro domingo após o carnaval, tempo em que a regularidade da freqüência dos membros começa a entrar na “normalidade”, compartilho uma visão geral do que poderá ser a agenda pastoral em 2010.

O início de 2010 é também o início do sexto ano de caminhada deste pastor com a IBG. O período aparenta ser favorável à caminhada, uma vez que os relacionamentos se apresentam amistosos, as tensões estão em níveis saudáveis e, portanto, podem ser criativas e não destrutivas, a macroestrutura organizacional está funcionando de maneira aceitável, as soluções para os problemas operacionais identificados nas diversas áreas estão sendo implementadas, as condições financeiras permitem o cumprimento do planejado e as principais adequações da estrutura física às necessidades ministeriais estão concluídas.

Esse quadro permite que nossas energias sejam ainda mais concentradas e com mais tranqüilidade nas realizações que contribuem para que a igreja viva mais intensamente os valores do Reino de Deus.

Assim sendo, em 2010 a agenda pastoral inclui os seguintes compromissos:

1. Pessoal – Aprofundar investimentos na saúde espiritual, emocional, física, intelectual, social e econômica, com destaque para o relacionamento conjugal, o suporte aos filhos, a continuidade dos estudos e reinício de processo psicoterapêutico. Atenção especial será dada no sentido de gozar, paulatinamente, os dois períodos de férias vencidas.

2. Eclesiástico-local – Manter a política de uma agenda saudável de compromissos. Nesse sentido continuará revezando o púlpito; priorizando a visitação exclusiva para enfermos; investindo uma tarde em aconselhamento; cumprindo a agenda de seminários para noivos e novos membros; dirigindo as reuniões do Conselho Diretor e de Ministros, bem como as reuniões essenciais à implementação do Plano Organizacional 2010; participando de maneira racional das atividades dos ministérios subordinados à área pastoral e das 6 outras áreas ministeriais, bem como da membrezia (aniversários, chás, casamentos, formaturas, funerais, etc.). Por razões de prioridade, a política de realizar casamentos somente se um dos cônjuges for membro da igreja será mantida.

3. Denominacional batista – Participar do estritamente necessário das atividades da OPBB-BA, da assembléia da CBBA e da Aliança de Batistas. A meta é não aceitar convite para falar em outras igrejas, concentrando a participação no Grupo de Trabalho - GT da transparência batista – que reavaliará a filosofia e formato dos relatórios das organizações da Convenção Batista Brasileira.

4. Cidade – Nesta área a participação em eventos de natureza religiosa, educacional e social, fora do meio batista, também será criteriosamente selecionada.

Percebe-se que é impossível a qualquer ser humano conviver com as pressões de todas as atividades que envolvem a vida de um pastor. Portanto, se a palavra “não” chegar aos seus ouvidos, lembre-se de que não se trata de ato de má vontade ou falta de consideração, mas de respeito próprio, de humanidade.

2 comentários:

Nathália de Tarso 23 de fevereiro de 2010 16:46  

Deus permita, pastor, que, ao final de 2010, o sr. possa olhar para esses pontos apresentados e sentir que conseguiu cumprí-los de forma satisfatória.
Graça e paz,
Nathália

Pr.Valdivan Nascimento 25 de fevereiro de 2010 10:06  

Gostei muito do seu blog e quero propor uma parceria. Já me tornei seguidor do seu blog e vou divulgá-lo no meu blog. Que tal trocarmos esta gentileza. Que Deus continue te abençoando.

http://valdivannascimento.blogspot.com