segunda-feira, 27 de março de 2017

Comportamento adequado - Filipenses 2:7

“mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.” (Filipenses‬ ‭2:7‬)

Especialistas dizem que o comportamento humano é resultado da soma da herança genética e influencias ambientais. Não somos robôs. Fomos capacitados a ajustar nossa conduta de tal maneira que ela nos seja favorável, que aquilo que fazemos traga benefício e não prejuizo à nossa vida.

Freud disse que "quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, a pessoa muda". A vida de Jesus, por outro ângulo, nos mostra que uma consciência profunda de missão também pode nos levar a mudar. O foco também é capaz de fazer com que deixemos as coisas que para trás ficam, fixemos o olhar no alvo e façamos os ajustes necessários para atingí-lo.

Abrir mão do senhorio pelo serviço, da divindade pela humanidade, foi uma atitude radical de Jesus, no dizer de Paulo, que deve servir-nos de referência às mudanças que precisamos implementar se quisermos construir ambientes favoráveis à salvação, preservação e desenvolvimento da vida em comunidade.

Línguas estranhas no altar


O templo era de uma tradicional igreja batista renovada do Recife. Como seminarista, fui pregar no culto da manhã. Antes do culto, no encerramento da EBD, o dirigente recitou:

"Uma cigana me disse
E eu creio ser assim:
Quem comigo fala dos outros,
Com os outros fala de mim".

Não era um alerta bíblico, mas cabia. Línguas de fogo deviam estar ardendo no altar...

domingo, 26 de março de 2017

Desapego - Filipenses 2:6

“que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se;” (Filipenses‬ ‭2:6‬)

Sabe quando você realiza um trabalho que ganha notoriedade, que agrega valor à instituição a qual serve ou serviu e o crédito é dado a outra pessoa? O sentimento é de reagir e corrigir a informação, trazendo pra si o mérito ou amargurar-se e passar a destilar veneno, mesmo que à conta gotas.

A pessoa, porém, que tem consciência das consequências do apego àquilo que a engrandece perante a opinião pública e, em vez de apegar-se a isso, de fazer disso a razão de ser de sua vida ou ainda, de, através disso entrar em conflitos ou amargurar-se, trabalha com o coração para desapegar-se (não estou dizendo recalcar), certamente faz muito bem a si e aos que a cercam.

No famoso período da tentação de Jesus, ele foi desafiado a apegar-se à sua condição divina, transformando pedras em pães, desafiando a lei da gravidade ou apropriando-se dos reinos. Sua clareza de propósitos, porém, fez com que ele se desapegasse de sua condição divina e não se desviasse do foco de sua missão. Do que devemos nos desapegar para não perdermos nosso foco?

sábado, 25 de março de 2017

De volta a Jesus - Filipenses 2:5

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus,” ‭‭
Filipenses‬ ‭2:5‬ 

Há dois movimentos que têm chamado minha atenção no meio evangélico. Um nos convida a voltarmos à Reforma; o outro, à Bíblia. Conquanto aparentem motivação virtuosa, ambos apresentam possibilidades tão amplas que precisamos definir a qual reformador ou a qual assunto da Bíblia devemos retornar.

Penso que uma chamada de volta à pessoa de Jesus, além de mais precisa, objetiva, é, também, mais coerente com a razão da fé cristã. É verdade que Jesus e a Bíblia são inseparáveis, pois se é fato que nossa fé está fundamentada em uma pessoa - Jesus - e não em um livro - Bíblia - é fato também que a única fonte que trata dessa pessoa é a Bíblia. Mas Jesus - seja o verbo, seja o histórico -  continua sendo Jesus e a Bíblia, Bíblia.

Diante das atitudes equivocadas apresentadas por irmãos Filipenses, descritas no capítulo 1, Paulo não age como vendedor de Bíblias e seus subprodutos. Ele vai direto ao ponto: a atitude de vocês deve ser como a de Jesus. Se você quer saber a que atitudes de Jesus ele se refere, acesse uma Bíblia, MAS foque seu interesse em Jesus.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Interesses dos outros - Filipenses 2:4

“Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.” (Filipenses‬ ‭2:4‬)

Um dos caminhos que podemos utilizar para ordenar nossa escala de prioridades é classificar as alternativas em: 1) Muito importante; 2) importante; 3) pouco importante e 4) sem importância. Isso nos ajuda a concentrar a atenção, as energias, naquilo que efetivamente faz alguma diferença em nossa vida.

Definido o que é muito importante, isto é, aquilo que de fato interessa, que é significativo para nós, temos a tendência de nos esquecermos de que não somos uma ilha e que o que nos interessa afeta não somente a nós mesmos, mas também aos outros e vice versa.

Diante disso, a palavra nos ensina que a nossa atenção, o nosso foco, o nosso cuidado, não deve ser com aquilo que interessa somente a nós, mas também aos outros. Os nossos interesses devem ser defendidos, mas não somente os nossos. Os dos outros também devem fazer parte dos nossos cuidados, pois tudo o que fazemos ou deixamos de fazer impacta não somente a nossa vida, mas também a de quem nos rodeia.

sábado, 18 de março de 2017

Respeito ao outro - Filipenses 2:3

“Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a vocês mesmos.”
‭‭(Filipenses‬ ‭2:3‬)

A Suécia é conhecida como o país no qual os direitos e deveres individuais são mais reconhecidos e as distâncias desses direitos e deveres, que desigualam as pessoas, são menores. Nem sempre foi assim. Isso é fruto do desenvolvimento de um cultura coletiva que reconhece o valor do ser humano, primeira e simplesmente, por ser humano e não pelo que a ele é agregado socialmente como títulos, atribuições sócio-políticas ou fama, por exemplo.

Isso é bastante diferente da cultura do "você sabe com quem está falando?" ou da cultura da supremacia do paletó e gravata, do jaleco branco ou outro uniforme, do cargo público, do bairro onde mora, da marca do carro que possui, etc. que é tão forte e nociva em nossas igrejas, instituições outras e em nosso Brasil.

"Considerem os outros SUPERIORES a vocês mesmos" é uma expressão muito forte que deve ser entendida como uma linguagem assim usada justamente para fazer contraponto às expressões não menos fortes: "ambição egoista" e "vaidade" (superficialidade), ambas prejudiciais a relacionamentos saudáveis, respeitosos, que devem ser estabelecidos com o outro.

sexta-feira, 17 de março de 2017

A propósito da Operação Carne Fraca

Comecei a trabalhar aos 15 anos em uma loja de materiais de construção. Aos 18, após servir o exército, fui trabalhar como auxiliar do Serviço de Inspeção Federal num frigorífico exportador, lá em Garça, que abatia 1200 bovinos por dia, na alta estação.

Havia um rodízio e a cada dia examinava uma parte dos animais abatidos. Cabeça (inclusive conferindo a idade do animal pelos dentes), lingua, intestino, coração, pulmão, fígado, rins, carcaça e um gânglio cujo nome não me lembro mais.

A qualquer sinal de contaminação ou de alguma suspeita de doença, o animal era remetido para uma inspeção final mais detalhada, inclusive com a presença de veterinário.

Lembro-me de que havia situações em que uma certa tensão acontecia entre inspetores e gerentes da empresa em função da equipe estar condenando mais a carne para consumo do que se gostaria. Mas o trabalho era feito com seriedade.

Desisti de trabalhar com carne pra trabalhar com espírito aos 20 anos. Tenho um filho vegano. Não consegui chegar a tanto.

Algo me fez lembrar dessa história hoje.

A alegria da unidade na diversidade - Filipenses 2:2

“completem a minha alegria, tendo o mesmo modo de pensar, o mesmo amor, um só espírito e uma só atitude.” (Filipenses‬ ‭2:2‬)

Vivemos um tempo no qual a diversidade é celebrada. Há um reconhecimento crescente de que o mundo criado por Deus tem como um dos pilares as diferenças entre os seres que, embora contados aos milhões, cada um tem suas próprias peculiaridades e identidades.

Nesse contexto, existem aqueles que, por trazerem em suas personalidades traços do narcisismo, trabalham por uma uniformidade na qual eles se apresentam como modelos, parâmetros, e neles todos devem se mirar e se igualar. Quem reage a isso é marginalizado e apedrejado.

O ensino da Palavra, porém, refere-se à "mesma forma", não ao "mesmo conteúdo". Uma forma de pensar e amar, que tem como origem o mesmo espírito, a mesma fonte de atitudes. Isso possibilita que, embora nossas palavras e ações sejam diferentes, a finalidade e o resultado sejam sempre favoráveis ao bem estar comum, produzindo alegria comunitária em vez de amargura e dor.

segunda-feira, 13 de março de 2017

11 dicas elementares para iniciantes na vida profissional

Estava estacionado na rua, no centro de Campinas, esperando minha esposa e resolvi gravar esse vídeo com 11 dicas elementares para iniciantes na vida profissional.
O ângulo da gravação e a não fixação do olhar na tela, se devem ao fato de não poder deixar o equipamento exposto, nem ficar desatento ao que  ocorria ao redor para não ser surpreendido por algum criminoso. Coisas do Brasil.   

Estar em Cristo - Filipenses 2:1

“Se por estarmos em Cristo nós temos alguma motivação, alguma exortação de amor, alguma comunhão no Espírito, alguma profunda afeição e compaixão ...” (Filipenses‬ ‭2:1‬)

As implicações escatológicas do "Estar em Cristo" são uma promessa, um plus. O mais importante "neste corpo"  são os efeitos psíquicos e éticos que isso produz. Se alguém diz "estar em Cristo" e não apresenta sinais positivos de mudança, algo está errado em sua declaração de fé.  

No mínimo, "estar em Cristo" altera nossas motivações, nosso ânimo amoroso, nossa comunhão, nossa afeição e compaixão. Isso, embora não seja tudo o que a presença de Jesus pode fazer em nós, já é algo revolucionário, especialmente se compararmos com exemplos negativos de personalidades que se autodenominam evangélicas, no mundo eclesiástico, político e midiático brasileiro.

Não confunda "estar em Cristo" com "estar  em uma igreja". O que impacta o caráter não é sua presença em uma igreja - conquanto seja importante -, mas a presença do Jesus de Nazaré em sua vida. Ele altera o relacionamento com Deus, com as pessoas e com a natureza. Em uns isso é mais visível, em outros menos, mas em todos ocorrem mudanças em algum grau. É impossível ter intimidade com Jesus e continuar sendo a mesma pessoa.

sábado, 11 de março de 2017

Jovens vencidos, sinal fechado

"...Eles venceram e o sinal está fechado pra nós que somos jovens..." (Belchior)

Juventude não tem a ver com idade, tem a ver com sonhos. Idade remete a hormônios, energia; sonhos, a valores, visão de mundo.

O sinal não está fechado à juventude. Está fechado àqueles que não perderam a capacidade de sonhar. 

O sinal continua aberto àqueles que apenas carregam hormônios à flor da pele, mas deixaram de sonhar seus próprios sonhos, pois sua energia está a serviço dos sonhos daqueles que estão em casa "guardados por deus, contando o via metal".

O sinal continua aberto àqueles que sucumbiram diante das promessas do mercado.  

A esses basta que continuem conservadores e alimentadores do sistema como está montado. 

A esses basta que sejam conservadores dos modelos que premiam o trabalho de alguns em detrimento do da maioria. 

A esses basta que acreditem e sejam conservadores  da idéia de que os que acumulam pra si, o capital, são os mais competentes. 

A esses basta que acreditem, sejam conservadores nisso e disseminem a falsa idéia de que todos, dos 1% que concentram renda maior do que dos 99% restantes do planeta, são indivíduos que começaram do zero, como aquele caso do lixeiro que virou doutor e não herdeiros de fortunas, muitas das quais acumuladas pela corrupção do sistema ou pela exploração imoral do outro. 

O sinal continua aberto àqueles que são conservadores dessas idéias e, como prêmio, a eles estão garantidas as migalhas que caem das mesas poderosas.

O sinal está fechado para jovens, não importa a idade cronológica, que continuam acreditando em valores como amor, justiça, solidariedade, fraternidade e compaixão. 

O sinal está fechado para jovens que focam suas inteligências, energias, conhecimentos, experiências em lutas que beneficiam a si e também à coletividade. 

O sinal está fechado para jovens que continuam sonhando com uma sociedade includente, por isso levam a sério a recomendação dos apóstolos a Paulo - não se esqueça dos pobres - e a de Jesus - mais bem aventurado é dar do que receber. 

Para esses o sinal está fechado, pois são rotulados de comunistas, esquerdopatas, liberais, quando tudo o que desejam é levar a sério, em suas vidas, a vida de compaixão, justiça, solidariedade e amor de Jesus, se empenhando para traduzir valores em estruturas jurídicas e organizacionais eficazes em favor do bem comum.

Jovens vencidos pelo sinal fechado, mas mais que vencedores, por aquele que nos amou, “Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”
‭‭(Romanos‬ ‭8:38-39‬). 

É a vitória do ser sobre o ter, para que o ter possa ser para todos não em termos de acúmulo, mas em benefício à vida neste planeta cujo desafio se multiplica pelo egoismo e materialismo idolatrado que é enfiado guela abaixo por ideologias diversas, algumas até em linguagem bíblica, sem Jesus.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Combate - Filipenses 1:30

“já que estão passando pelo mesmo combate que me viram enfrentar e agora ouvem que ainda enfrento.” (Filipenses‬ ‭1:30‬)

A natureza humana é a mesma e os combates de cada um têm semelhanças, independente da origem geográfica, cultural, econômico-financeira, acadêmica, religiosa, enfim. 

Nenhum ser humano expressa, muito menos é a expressão, apenas de elementos favoráveis. Há também os adversos. Portanto, ninguém é imune a combates. Todos travam em si e entre si algum tipo de combate, ainda que em graus e motivos diferentes, a fim de superar adversidades impostas em dadas circunstâncias.

Líderes não são imunes à adversidades e, portanto, não estão livres de enfrentamentos. Assim, não há privilegiados neste campo. Cada um pode enfrentar de maneira diferente, mas todos "estão passando pelos mesmos combates". Sabias, então, são as palavras de Pedro, adaptadas aqui: resistam, permanecendo firmes na fé, sabendo que os irmãos que vocês têm em todo o mundo estão passando pelos mesmos combates. (1 Pedro‬ ‭5:9‬).

terça-feira, 7 de março de 2017

Estranho privilégio - Filipenses 1:29

“pois a vocês foi dado o privilégio de não apenas crer em Cristo, mas também de sofrer por ele,” (Filipenses‬ ‭1:29‬)

Um dos hinos mais cantados nas igrejas batistas antes das tecnologias (cds, dvds, pen drives, data shows...) que possibilitaram a reprodução em massa de novas músicas para cultos dizia: "Que delícia é crer em Cristo, em seu nome confiar, aceitar os seus ensinos e as promessas desfrutar!  Oh, que gozo é crer em Cristo, ter certeza de perdão! Receber de Cristo mesmo vida, paz e salvação."

Todos queremos esse privilégio que crer em Cristo representa e proporciona. Estranho é o privilégio adicionado por Paulo: sofrer por Cristo. Estranho porque sofrer é uma experiência essencialmente indesejada. Embora seja inevitável à condição humana, evitá-lo é uma predisposição presente na vida de todos, exceto em masoquistas.

"Pare de sofrer", entretanto, não é proposta dos evangelhos. É enganação de comerciantes de má fé da religião. Jesus declarou: "no mundo tereis aflições". Além disso, o próprio Jesus também disse: ““Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês.” (Mateus‬ ‭5:11‬). De sofrer, ninguém gosta, mas há causas pelas quais vale a pena e até um privilégio, estranhamente é. Jesus é a maior delas.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Oposição - Filipenses 1:28

“sem de forma alguma deixar-se intimidar por aqueles que se opõem a vocês. Para eles isso é sinal de destruição, mas para vocês, de salvação, e isso da parte de Deus;”
‭‭(Filipenses‬ ‭1:28‬)

Gosto de pensar que não é atitude inteligente esperar ausência de oposição. É claro que ninguém gosta de oposição desleal, desonesta, mas, independente disso, oposição é importante. Ela nos faz refletir com mais profundidade e prudência e, consequentemente, nos ajuda a evitar ações superficiais, se nossos propósitos forem bons.

Tem medo de oposição, aqueles cujas intenções não estão claras ou são más. Aqueles que têm convicção de que seus projetos estão afinados com valores do Reino de Deus, entenderão opositores como agentes de salvação, não de destruição, mesmo que tais opositores não se percebam assim, nem ajam visando o bem.

Nesse sentido, não devemos evitar oposições em nossa caminhada. Devemos respeitá-las e nunca subestimá-las. Intimidar-se, porém, jamais.

domingo, 5 de março de 2017

Cidadania - Filipenses 1:27

“Não importa o que aconteça, exerçam a sua cidadania de maneira digna do evangelho de Cristo, para que assim, quer eu vá e os veja, quer apenas ouça a seu respeito em minha ausência, fique eu sabendo que vocês permanecem firmes num só espírito, lutando unânimes pela fé evangélica,” (Filipenses‬ ‭1:27‬)

Somos cidadãos deste mundo. Dizer isso seria desnecessário se não existissem os que apregoam uma teologia que nega a luta em defesa das necessidades de todos, neste corpo, neste mundo, e ensinam que a realização de necessidades atuais se dará apenas no "pós túmulo", no céu. 

Cidadania tem a ver com a consciência dos deveres e direitos que devemos desenvolver aqui e agora. Tem a ver com a luta amorosa e permanente empreendida visando a construção e manutenção de uma vida de qualidade saudável, em TODAS as dimensões, para TODOS que habitam este planeta. Não tem a ver, portanto, com deveres e direitos somente em um país, mas deveres e direitos humanos.

Esta cidadania deve ser exercida tendo como padrão o evangelho de Cristo. A fonte primária disponível de informação dele é o Novo Testamento.  Por haver focos e interpretações múltiplos, cada um pode e deve ir direto à fonte e, inspirado em Jesus de Nazaré, desenvolver sua cidadania no contexto onde vive. Esse é o único caminho para recuperarmos a credibilidade da "fé evangélica", em face do estelionato praticado por comerciantes da religião e pelos que usam a Bíblia não para libertar - salvar -, mas para controlar - opimir.

sábado, 4 de março de 2017

Influência - Filipenses 1:26

“a fim de que, pela minha presença, outra vez a exultação de vocês em Cristo Jesus transborde por minha causa.” (Filipenses‬ ‭1:26‬) 

O relacionamento humano é feito de inspiração. Inspiramos e somos inspirados continuamente, durante toda a nossa vida.  A influência que exercemos ou que exercem sobre nós se dá de maneira consciente, ativa, objetiva ou mesmo de maneira insconciente, passiva, subjetiva. O fato é que nenhum de nós está livre de influenciar e ser influenciado.

Pessoas conscientes disso procuram conhecer-se a si mesmas, os sentimentos e pensamentos que caracterizam suas atitudes, as palavras e ações que utiliza para expressá-las, a fim de influenciar a realidade a seu alcance. Também procuram ter clareza do padrão de humanidade que almeja a fim de que ele se torne visível em si e em todos os demais.

Jesus era o parâmetro da vida de Paulo. Ele o declarava como Senhor e Salvador, seu e da humanidade. Da reprodução de vidas semelhantes à de Jesus dependia a salvação da humanidade. Por isso seu desejo era que sua presença produzisse "exultação...em Cristo Jesus" na vida dos que o cercassem. O sentido de sua existência era causar o transbordamento da vida de Jesus na vida de quem com ele caminhasse.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Progresso e alegria na fé - Filipenses 1:25

“Convencido disso, sei que vou permanecer e continuar com todos vocês, para o seu progresso e alegria na fé,” ‭‭(Filipenses‬ ‭1:25‬)

 Ninguém pode afirmar que continuará vivo. Pode desejar que isso ocorra. Portanto, afirmar "que vou permanecer e continuar com todos vocês" é, a meu ver, um recurso linguístico usado para manifestar o amor sentido pelas pessoas a quem a palavra é dirigida. 

O desejo de continuar "no corpo" tinha uma finalidade missionária: o progresso e a alegria na fé. Essa finalidade merece destaque porque contrasta com a de alguns missionários cujo interesse é tão somente a "alma" alheia, pouco se importando e até combatendo os que se importam com a salvação da vida "no corpo". 

Somente quem cultiva uma fé cujas repercussões se fazem sentir a partir do aqui e agora e não somente do lá e depois, pode interessar-se em manter-se ao lado de outros para ajudá-los "em seu progresso e alegria na fé". Bem diferente de manter contato para enganar, manipular, tosquiar, controlar, oprimir, usar e abusar do outro, em nome da fé.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Altruísmo - Filipenses 1:24

“contudo, é mais necessário, por causa de vocês, que eu permaneça no corpo.” (Filipenses‬ ‭1:24‬)

Há coisas que desejamos - como estar com Cristo fora do atual corpo, nas palavras de Paulo - pelo bem que, acreditamos, elas nos farão e há aquelas que escolhemos - como permanecer no atual corpo - pelo bem que elas farão a outros.  As duas proporcionam prazer, ainda que por caminhos diferentes. 

A escolha que fazemos retrata o que de fato tem mais força sobre nós, seja isso consciente ou não. No caso de Paulo, percebe-se que o sentimento missionário era muito forte. Exemplo disso, além de suas ações, são suas palavras aos efésios: “Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus. Em tudo o que fiz, mostrei a vocês que mediante trabalho árduo devemos ajudar os fracos, lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus, que disse: ‘Há maior felicidade em dar do que em receber’.”” (Atos‬ ‭20:24, 35‬)

Esse tipo de sentimento, de consciência, que coloca os interesses alheios à frente dos próprios interesses  é um produto em falta. Daí, talvez, nossa dificuldade de construir sociedades mais solidárias, amorosas e justas. Daí, talvez, cada dia surgir mais igreja que é menos igreja. Daí, talvez, cada dia surgir mais pastor que é menos pastor. Daí, talvez, cada dia sugir mais ser humano que é menos humano.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Saudável pressão - Filipenses 1:23

“Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor;” (Filipenses‬ ‭1:23‬)


Certa vez a multidão que ouvia Jesus foi, por ele, encostada contra parede. Diante das palavras proferidas a debandada foi geral. Vendo que seus discípulos permaneceram, ele indagou se eles também não se retirariam. A resposta de Pedro entrou pra história: "pra quem iremos nós, se só tu tens palavras de vida eterna?". (Jo. 6).



Estar com Jesus é sempre a melhor opção para nossas vidas. Sentar-se aos seus pés para ouví-lo é, indiscutivelmente, a escolha desejável. Estar ao seu lado no "Monte da Transfiguração" enche os olhos, alimenta a alma. Porém, o que parece ser melhor para nossa vida, não é, necessariamente, o projeto melhor que ele tem para nós.



Estar com Jesus e servir em nome de Jesus são experiências distintas, mas que formam um círculo virtuoso. A pressão se dá entre escolher estar com ele, ISOLADO da realidade, e estar com ele, ENVOLVIDO na realidade. Feliz é a pessoa que experimenta essa saudável pressão, a pressão da devoção e do serviço. Se ela não existe, a existência está sem sentido.