quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A responsabilidade dos membros da Igreja


A propósito da eleição de novos dirigentes, conselheiros e ministros da IBG

...

Pelo sétimo ano consecutivo, declaro antes das eleições na IBG e Cecom que, na qualidade de pastor, opto por não fazer defesa de qualquer nome para compor diretorias ou conselhos. Acredito que  a responsabilidade pela construção da história da igreja é coletiva, no bônus ou no ônus.

É claro que, por adotar tal postura, não concordaria com qualquer movimentação de quem dá sinais de querer direcionar a igreja rumo a  interesses estritamente particulares ou de uma minoria.

Sendo a membrezia responsável, cada pessoa precisa ter consciência de que, ao indicar-se ou indicar alguém para um cargo e, depois, votando, sua ação funciona como o semeador que planta uma semente. A pessoa na qual votamos é uma semente que vai germinar durante os próximos 3 anos, no caso dos conselhos e dois, nos das diretorias.

Ninguém tem bola de cristal para prever as ações de quem quer que seja, no exercício de um cargo. Entretanto, utilizando o conhecimento que temos da pessoa, podemos projetar com maior probabilidade de acerto, a forma como atuará.

É fundamental, para isso, que, primeiro definamos a qualidade do fruto que almejamos e, depois verifiquemos se a pessoa por nós escolhida reúne as melhores condições para tal. Nesse sentido, algumas perguntas precisam ser feitas a respeito da pessoa. 

Em relação às qualidades pessoais:

1.       A maneira como se comporta evidencia comunhão com Deus?

2.       Ela dá sinais de ser comprometida com valores espirituais do Reino de Deus?

3.       Ela é comprometida com o funcionamento da igreja, através da freqüência regular aos cultos e da contribuição financeira regular para o sustento das causas?

4.       Ela evidencia ser leal e sincera na maneira como se relaciona com os demais membros da igreja?

5.       Ela demonstra conseguir enxergar o ser humano como imagem e semelhança de Deus acima das diferenças sócio-culturais?

6.       Ela demonstra ser capaz de liderar seus sentimentos e sua língua?

7.       Ela revela capacidade de escutar pacientemente o outro para entender seu modo de pensar, para, somente depois, contra argumentar, se for o caso?

8.       Ela evidencia disciplina e honestidade na administração do seu tempo e dinheiro?

9.       Ela evidencia respeito à membrezia, aos líderes e ao pastor, principalmente na forma de administrar inevitáveis divergências? 

Em relação às qualidades técnicas:

1.    Ela evidencia conhecer e estar comprometida com a missão, visão estratégica e valores oficializados pela igreja?

2.    Ela revela conhecimento da macro-estrutura organizacional da igreja?

3.    Suas ações revelam desejo de ver todas as áreas se desenvolverem de maneira saudável e equilibrada ou é partidária e individualista?

4.    Ela conhece a finalidade e atribuições da área na qual pretende atuar?

5.    Ela conhece a importância da área a que concorre para o desenvolvimento do Reino de Deus?

6.    Ela tem consciência do tempo que terá para investir durante o período de mandato?

7.    Ela manifesta disposição e disponibilidade?

8.    Ela tem consciência dos recursos de humanos, financeiros e patrimoniais disponíveis para o exercício de suas funções?

9.    No caso da Diretoria e Conselho Diretor, ela apresenta sinais de conhecimento e maturidade para participar da liderança da Igreja numa eventual ausência permanente do atual presidente?

Tais perguntas não têm por objetivo encontrarmos uma pessoa perfeita, pois ela não existe. Porém, servem de referencial para que nossa escolha seja refletida, aumentando a probabilidade de elegermos pessoas que manterão a igreja no caminho de um desenvolvimento saudável, glorificando com isso o nome de Jesus Cristo e servindo para restaurar a comunhão de muitos com Deus, consigo, com os semelhantes e com o meio ambiente que nos cerca.

1 comentários:

Kaline 26 de setembro de 2011 08:47  

Bom dia! Meu nome é Kaline, moro na cidade de Natal, tenho uma amiga e irmã em Cristo que está morando em Salvador com a família e eles tem sofrido muito com a adaptação na cidade, eles tem chegado as igrejas e não tem sido bem recebidos, não sei se isso é exagero pela carência da mudança, mas sinto isso também e gostaria de apoio para esses amados, gostaria de saber se há alguma missão ou congregação que os irmãos pudessem me indicar eu ainda não sei o bairro em que eles estão morando, mas entrarei em contato com eles estou em oração por eles para que eles se firmem na igreja, Deus os abençoe! Aguardo resposta! Deus os abençoe, Kaline. meu e-mail é kaline-lessa@click21.com.br