quarta-feira, 6 de junho de 2018

A política de desempoderamento das mulheres e suas consequências no meio batista.

Há anos venho alertando os batistas brasileiros para o equívoco que parte relevante de nossa liderança tem cometido ao aliar-se a líderes batistas norte-americanos cujo posicionamento em relação às mulheres é de desempoderamento. Venho alertando que a questão não é somente aceitarmos ou não mulheres como pastoras, mas reconhecermos o valor intrínseco do ser humano mulher e todas as repercussões disso na vida.


Entretanto, parte de nossa liderança batista, ao abrir espaço no púlpito de nossas assembléias convencionais, assembléias de ordens de pastores e até mesmo em cursos de graduação ou mestrado de nossos seminários, repito, ao abrir espaço  para pastores, professores e lideres batistas com posições extremistas restritivas em relação à mulher, tem causado um desserviço ao reinado de Deus.


Pior: quando parte de nossa liderança assina convênio, cuja finalidade e termos não foram publicados à época, com instituições dirigidas por pessoas cuja ideologia em relação à mulher é restritiva, de desempoderamento, quando as mulheres, não só pelo valor inerente à sua condição de criadas à imagem e semelhança de Deus como os homens, mas também por sua força de trabalho em nossas igrejas e obras missionárias, são essenciais ao desenvolvimento do reinado de Deus, como bem fica exemplificado no ministério cotidiano de Jesus.


Agora, estamos aí acompanhando um escândalo envolvendo um dos mais empoderados líderes batistas dos últimos 40 anos - Paige Patterson - da Convenção do Sul dos Estados Unidos, que esteve recentemente pregando em Gramado, na CBB e, nesse final de 2017 ele próprio assinou convênio com uma de nossas instituições batistas brasileiras.


Pra mim é o juizo de Deus que está chegando e chegará também, por tabela, em nossos arraiais batistas brasileiros. Não me alegro com isso e, se trago à baila esse assunto, faço-o no espírito dos escritores bíblicos que publicaram, como alerta, os malfeitos de homens como Davi, Sansão, etc. para que percebamos que, sempre que trocamos os valores do reinado de Deus pelos valores do mercado, da política partidária (conservadores x progressistas, fundamentalistas x liberais), o resultado não pode ser outro. O juizo de Deus tarda, mas não falta. Pra mim e pra você! 


E se chega pra mim e pra você, até porque todos temos nossos pontos fracos, que estejamos atentos para, na dependência de sua graça, acertarmos humildemente nossos caminhos.


Coloque no Twitter, Google, You Tube o nome Paige Patterson, acompanhe os desdobramentos, inclusive porque ele está escalado pra falar na Assembléia da Convenção do Sul, na próxima semana, e sinta o clima. 


Que Deus tenha misericórdia de nós, diante das políticas que por vezes, equivocadamente, temos adotados, repito, políticas de mercado, políticas partidárias, em lugar de políticas que manifestem o reinado de Deus e seus valores ético-espirituais em nossas vidas.


https://www.washingtonpost.com/news/acts-of-faith/wp/2018/05/27/controversial-southern-baptist-leader-still-set-to-give-prominent-sermon-in-front-of-thousands/?utm_term=.45fcf873ddfa&noredirect=on


https://www.npr.org/sections/thetwo-way/2018/05/23/613604818/head-of-southern-baptist-seminary-removed-over-remarks-on-rape-abuse-of-women?utm_source=twitter.com&utm_medium=social&utm_campaign=npr&utm_term=nprnews&utm_content=20180523


http://www.ethicsdaily.com/the-tale-of-two-presidents-at-southwestern-seminary-cms-24891


http://www.ethicsdaily.com/from-the-pews-the-danger-of-power-and-prestige-cms-24913


http://www.faithfulnews.com/43027527/its-wrath-of-god-stuff-thinking-past-paige-patterson-and-into-the-southern-baptist-future


https://jasonkallen.com/2018/05/on-the-dignity-of-women-and-the-holiness-of-ministers-a-resolution-submitted-to-the-2018-sbc-committee-on-resolutions/


https://sbcvoices.com/dr-jason-allens-resolution-on-on-affirming-the-dignity-of-women-and-the-holiness-of-ministers/

https://www.facebook.com/149306455212000/posts/1024407551035215/

1 comentários:

cristina nobrega 12 de junho de 2018 12:16  

Sim, eu li. É um escândalo.
A questão passa por politicagem de todos os lados.
O negócio é não ficar mal na fita.
Pessoalmente, não engrosso a fila dos que são contra o ministério pastoral por mulheres. Vejo como vocação. Eu não seria, simplesmente porque me falta vocação. Sou professora por vocação.
Mas, brigarei para defender o direito das que são vocacionadas a exercerem o lugar que Deus lhes confiar.
O resto é politica, usando o nome de Deus e um interpretação literalista.
Mas, olhe nossa denominação. Não tenho dúvidas que nunca uma mulher assumirá a presidência da Convenção Batista. muito menos de cargos relevantes.
a palavra da moda, "empoderamento" é muito usada, mas...