sábado, 2 de janeiro de 2010

Deus não existe


“É provável que Deus não exista. Então, pare de preocupar-se e curta sua vida”


Sabe aquele seu filhinho, pirralho de 5 anos com quem você adora brincar, que quando você chega ele abre um sorriso imenso e corre te abraçar? Pois é, foi estuprado por um pedófilo, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.


Sabe sua mãezinha adorável, sorridente, cheia de vida? O cara entrou em sua casa, violentou-a brutalmente e deixou-a sofrendo, solitária e toda ensangüentada, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.


Sabe seu avô que sempre te acolheu, te abraçou quando você chorava frustrado, te carregou nos braços fazendo cócegas e te levou pra comer pipoca? Pois é, depois de trabalhar a vida toda pagando a previdência pelo valor máximo, hoje passa o maior sufoco, recebendo menos do que 3 salários mínimos pra viver, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.


Sabe aquele político que te inspirou confiança e você o elegeu, acreditando que ele usaria o poder de governo pra melhorar a vida de todos? Então, ele está embolsando milhões através de propinas enquanto milhões de pessoas estão sem acesso à saúde, educação de qualidade ou saneamento básico e andam inseguras pelas ruas das cidades, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.

Sabe aquele pastor que você admira, destacado líder denominacional, aquele que sempre que te encontra te abençoa com palavras bonitas e te desafia a uma vida melhor? Pois é, ontem, ciente de que não estava sob holofotes e ninguém estava vendo, tratou histericamente aquela ex-missionária que deu metade dos anos de sua vida anunciando o evangelho, tão somente porque ela estava trabalhando numa sala que ele não queria, e, ao determinar que ela se retirasse, ela resistiu querendo saber a razão. Ela saiu aos prantos e ele continua feliz no exercício de sua função, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.


Sabe aquele presidente neurótico que determinou que um país inteiro fosse destruído, matando milhares de pessoas, inclusive crianças, mulheres e idosos indefesos, deixando outras tantas psicologicamente semimortas? Pois bem, ele vive feliz numa mansão cercado de toda mordomia, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.


Sabe aquele senhor brincalhão que vende paçoquinha de amendoim na porta do colégio? Descobriram que também vende drogas pra crianças e adolescentes, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.

Sabe aquele pessoal que faz as leis nas assembléias legislativas, que nos obriga a agir da maneira como quer ou aquele, dos judiciários, que tem poder pra julgar e determinar penas aos que não obedecem tais leis? Está comprometido até o último fio de cabelo com um sistema mafioso de corrupção, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.

Sim, curta sua vida. Não há com que se preocupar. A vida é isto: entre setenta e cem anos sobrevivendo neste planeta giratório e solto no espaço, cada um fazendo o que der na telha ou fazendo o que um grupo mais poderoso determina que se faça, na certeza de que não haverá prestação de contas a ninguém superior.


Portanto, siga seus instintos. O máximo que pode acontecer é você sofrer as conseqüências de leis naturais, existentes por acaso, fruto de casuais conexões construídas em milhares de anos entre seres que surgiram do nada e que, casualmente, se uniram, em torno de ideais nobres absurdos, sem sentido, ideais que brotaram casualmente em seus “cérebros”, cérebros que também são frutos do acaso, do interesse pela sobrevivência em torno de algo maluco.

Sim, de vazão ao seu sentir. Se tiver muito dinheiro, nem as penalidades previstas em lei incomodarão sua trajetória. Além do mais, as leis são resultado puramente de interesses políticos para manter esta espécie de passatempo que chamamos vida e não fruto de um imperativo criado por um ser superior. Portanto, se alguém te forçar a obedecê-las, reaja, enfrente usando força bruta, faça terrorismo, imponha-se, afinal, tudo não passa de um jogo de forças, de interesses. Talvez você se machuque ou machuque alguém, mas fique tranqüilo: “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.

Or exist?

"Disse o louco no seu coração: Não há Deus.
Têm-se corrompido e cometido abominável iniqüidade; não há ninguém que faça o bem."
(Salmos 53.1)

4 comentários:

Willians Moreira 2 de janeiro de 2010 15:55  

Achei o texto pertinente.
Da perspectiva do questionamento cumpre perfeitamente o seu papel.

Anônimo 13 de fevereiro de 2010 20:38  

A realidade é dura e ainda exitem pessoas, querendo afirmar a esta barbaridade de que deus não existe, o que seria de nós se não fosse a misericódia de Deus?

Anônimo 18 de abril de 2011 13:30  

Deus nao existe
nunca existiu
nunca vai existir

Wendell Fernandes 19 de abril de 2011 01:32  

Sei que faz muito tempo que você escreveu essa mensagem, e que talvez não veja meu comentário. Mas gostaria faze-lo na mesma...

Eu realmente penso que seu discurso é mais humanista que religioso. Eu não acredito em deus algum, justamente porque algum mal tem que acontecer para que um deus seja necessário... se algum deles existisse teríamos que passar por tudo isso? Porque quando eu falo bem de mim e me apresento com alguém “fantástico” no que faço sou chamado de vaidoso e um ser sobrenatural não o é? Você não acha ridículo imaginar que enquanto suas mão estão juntas rezando e perdendo seu tempo, você mesmo poderia meter-se a trabalhar pela construção de um tempo melhor? Deus algum existe, somos nós mesmo a tentação e a criação, nós somos o principio e o fim de tudo que nos propomos a fazer... meu templo é meu corpo... e se há alguma coisa sobrenatural, é a estupidez. Não julgo como natural toda essa discussão sobre questões que não tem solução... enjoy yout life... get rid of shit...