segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A primeira vez numa Assembléia da CBB

Era sexta-feira, 18 de janeiro. Acompanhado, entro no auditório do Centro de Convenções onde aconteceria a Assembléia Anual da CBB. Seguindo desejo de Gláucia procuramos um lugar de onde houvesse uma melhor visibilidade para ela. Pedindo licença, um por um, chegamos a um lugar bem no meio do auditório e nos acomodamos.

Eu estava com uma camiseta do tipo pólo e ao meu lado um jovem com terno. Claro, imaginei tratar-se de pastor. Cumprimentei-o e não demorou muito ele comentou rindo:
- "Tô de paletó pois quero me exibir" E continuou: - "Minha esposa não queria que eu o usasse, mas eu seria capaz de vir a pé. É a primeira vez que participo de uma "convenção".

Comecei então a observar seu comportamento durante a programação. Seus olhos brilhavam de prazer. Quando mais de 3000 pessoas começaram a cantar "A Deus demos glória..." ele olhou pra mim, emocionado e disse: - "tem coisa melhor do que isso". A programação continuou e, após o "cântico da colheita" ele olhou, com olhos cheios de lágrimas, e comentou: "Eu não aguentei não, pastor, eu chorei"

De fato, o momento era bonito, o ambiente agradável, a música de boa qualidade, fato que gerou um novo comentário, após ouvir "mestre o mar se revolta" ao som de uma harpa muito bem tocada. - "É de lavar a alma".

Com sua máquina digital, fotografando tudo, em dado momento ele virou para nós e pediu permissão para nos fotografar. De repente nos sentimos importantes por entrarmos para a história daquele jovem pastor.

Tudo foi muito bonito e inspirativo naquela manhã. Nenhuma proposta em discussão, nenhum debate, nenhuma questão de ordem, nada de manifestações da advocracia batista.
À tarde, os assuntos seriam deliberativos. O outro lado da mesma moeda estaria em evidência. Mas aí, infelizmente, já não estaria perto dele para ouvir suas impressões e opiniões.

2 comentários:

mentoria 3 de fevereiro de 2009 17:34  

Amado pr. permita-me chamar-lhe de amado, nao nos conhecemos, mas comungo contigo dessa mesma verve batista, e quando vemos(mesmo que eu nao tenha ido a Convençao), um jovem pastor ser agraçiado com um "tempo inspirativo",em uma Convençao; nosso coraçao fica agradecido. Porque quanto mais inspirativas forem nossas Convençoes, mais pastores assim teremos ao nosso lado
Pr. Messias Leite Manaus-AM

Anônimo 11 de fevereiro de 2009 13:34  

Pr EDVAR POR FAVOR VC TEM NOTICIAS DO Demóstenes, se tiver meu nome é Acacio,sou pastor presbiteriano e não tenho noticias dele desde 1981, meu Email é acacio.goncalves@bol.com.br, obrigado