quarta-feira, 17 de junho de 2009

"Desvio" do dinheiro de missões (II)

(Para entender este texto, leia a parte I)
1. Se eventualmente alguém estiver entendendo que denunciei algum desvio do dinheiro de missões, tal pessoa não leu o que escrevi. Em nenhum momento no texto que escrevi fiz qualquer menção a aspectos morais do uso do dinheiro, mas aspectos filosóficos, em busca de qual seria a compreensão dos interessados no assunto quanto aos limites no uso das ofertas;

2. Não me referi a ajuda ao STBSB. Se alguém estiver entendendo que me referi ao STBSB, também não leu o texto que escrevi;

3. Não emiti qualquer juizo de valor sobre o dinheiro de missões. Fiz perguntas a respeito do assunto, pelo fato de que, neste fórum, por diversas vezes, apareceram comentários sobre "desviar" dinheiro de ofertas missionárias para outros fins. Então, fiz perguntas que, se respondidas, poderiam clarear qual seria o limite compreendido pelos batistas deste fórum, para afirmar quando o dinheiro está sendo usado de acordo com a finalidade e quando a finalidade está sendo desviada;

4. O objetivo do texto foi abrir espaço para compreendermos exatamente o que o Pr. Geremias Bento*, por exemplo, quer afirmar quando diz "podem estar certos que dinheiro de missões não foi usado fora de seu objetivo"Qual seria exatamente esse objetivo? Essa pergunta resume as perguntas do texto.

5. Qualquer resposta que se queira dar às perguntas poderiam ajudar a clarear. Entretanto, se não se quer dar, pelo menos que não se diga o que não está dito no texto.

Não há nada no texto que afirme algo, nem mesmo subentendido. Por favor, leiamos o texto de maneira objetiva. Perguntas que esperam resposta.
Portanto, declaro, a quem interessar, que não tenho qualquer dúvida moral sobre o uso do dinheiro das ofertas de missões. Se tivesse, a igreja que pastoreio, desculpem a referência, não estaria no grupo das 1% das igrejas da CBB que mais contribuem nominalmente para missões mundiais, nacionais e estaduais ou entre as 3 a 5 do Norte e Nordeste em valores nominais.
Jamais estimularia igreja da qual sou pastor a contribuir para organização dirigida por quem não acredito na honestidade.
Confio plenamente na honestidade de todos os dirigentes das agencias missionárias batista que conheço. E dos que não conheço, nunca ouvi qualquer palavra de dúvida sobre qualquer um deles.
* Grande Forum Batista, coordenado pelo jornalista batista Vital

2 comentários:

juziani 21 de junho de 2009 10:48  

creio que como em qqr grande instituição ou empresa, deve haver sempre profissionais que sejam capazes de gerir bem, senão lacunas de bem ou má gestão irão acontecer e as transparências são necessárias em tudo que fazemos. Não tenho duvidas de que missões exigem esforços de todos os lados, como tbm não duvido da dificuldade da administração, pois somente 1 formiguinha não faz verão!

juziani 21 de junho de 2009 10:51  

Que bom poder olhar ao redor, ver como algumas pessoas se suportam ou não e ainda assim olharmos quem está próximo de nós como um jardim que regamos diariamente.