segunda-feira, 8 de junho de 2009

O blog da Petrobrás e o poder da mídia, inclusive batista

Ontem, o jornal A Tarde, de Salvador, publicou que a Petrobrás resolveu criar um blog "para se contrapor à CPI". O endereço é HTTP://petrobrasfatosedados.wordpress.com/. A criação, segundo a matéria, tem por objetivo divulgar a versão da empresa sobre os questionamentos que surgirão na CPI. Todas as perguntas que forem feita pelos jornalistas, terão as respostas publicadas na íntegra no blog. Com isso, a empresa pretende não ser vítima da edição das respostas, pelos editores, visando levar ao conhecimento público somente o que e da forma que interessaria às empresas de comunicação. Ponto pra inteligência da Petrobrás.

É sabido que a neutralidade de um veículo de comunicação é, geralmente, diretamente proporcional aos seus interesses econômicos. Com base nos impactos que a notícia exercerá sobre seus interesses ou de seus aliados, define-se a política de divulgação a ser adotada. A Petrobrás, então, quer se proteger dos interesses contrários e, para isso, vai usar um blog.
Um dos grandes méritos da internet é a distribuião do poder da informação. É claro que o rádio e a TV continuam fortes, exercendo influência especialmente sobre pessoas desavisadas ou desinteressadas em aprofundar o conhecimento dos fatos. Quem, porém, procura maior autonomia recorre, alternativamente, à internet em busca da diversidade de opiniões, para formar seu próprio pensamento, sempre que interessar.

Na internet há muito lixo e superficialidade, principalmente nos blogs. Também há na televisão, no rádio, nos livros, nos jornais, nas revistas e até nos púlpitos de igrejas. Cabe, então, a cada um, primeiro, definir os conceitos "lixo" e "bom" e, depois, seguir o princípio recomendado por Paulo de examinar tudo e deletar o que não presta.

Estamos num processo de distribuição do poder das comunicações. Até a poderosa Globo já se deu conta disso e está correndo atrás do prejuizo. Parece que alguns de nós, batistas, ainda não nos demos conta deste fato.

Pesquise nos Estados Unidos, onde a história da democracia do país se confunde com a dos batistas e encontrará "n" jornais batistas de diversas correntes. Blogs de instituições batistas, como os da Aliança Batista Mundial e da Aliança de Batistas ou de membros de igrejas batistas são comuns. Confira em minha lista de blogs.

No Brasil não. Herdamos o discurso dos antigos batistas, fundadores da outra América, sobre liberdade de pensamento, mas o uso da expressão "Orgão Oficial da Convenção" tal, em nossos jornais batistas, parece ser interpretado por alguns com o mesmo sentido das ditaduras políticas, nas quais os jornais são órgãos "oficiais" de propagada dos pensamentos e interesses daqueles que estão com o poder decisório nas mãos. E quando alguém se atreve a criar um meio de publicar notícias ou pensamentos, se declarando batista, começa rapidamente a receber alertas de "generais".

Dizemos que somos uma denominação democrática, com um milhão e meio de batistas, mas, no caso d' O Jornal Batista, 4 ou 5 cabeças, todas da mesma cidade (ou convenção regional) ou do mesmo Estado, escolhidas não sei quando, com que atribuições, por quanto tempo, decidem sob critérios desconhecidos do grande público, sobre o que deve ou não ser publicado.
(Destaco, por questão de justiça e honestidade, primeiro, que a culpa é nossa, não deles. Eles - os 4 ou 5 - não se escolheram, foram convidados e servem voluntariamente sem receber um centavo. Segundo, que sei que a solução disso faz parte das pendências de ajustes que precisam ser feitos).

Comecei a pensar no custo de cada página d'OJB. Isso me ocorreu com um pouco mais de profundidade quando um texto meu ocupou quase uma página inteira deste Jornal. Recentemente, ao pagar, justamente, por uma convocação de recadastramento de membros, nele, a idéia do custo do espaço reapareceu.

Pensei: por que o dinheiro dos batistas deveria ser usado para financiar a publicação de imensos textos? Com todo respeito a mim mesmo e alguns dos que, como eu, já usaram tão grande espaço, que critérios são usados para publicar meia página ou uma página, com textos cuja relevância nem sempre parece ser de interesse amplo? Publicamos pelo nome ou representação de quem escreve? Pela necessidade de prenchimento de espaço? Com base numa agenda de assuntos? Se OJB é publicado com recursos provenientes das igrejas, não deveríamos saber?

Voltando à inteligente idéia do blog da Petrobrás, ao ler a notícia pensei: se a Petrobrás pode e faz por que batistas não poderíamos produzir informação alternativa? Se defendemos a democracia, a liberdade de pensamento e a transparência, não deveriamos ser exemplo? Se eventualmente não pudermos publicar nos órgãos oficiais, que o façamos através dos nossos modestos blogs. Quem sabe a palavra caia em terreno fértil e a idéia se transforme numa grande árvore.

5 comentários:

ADNA OLIVEIRA 12 de junho de 2009 01:20  

Olá, Pr. Edvar!

Gostei muito do seu blog. Odílio já havia me falado sobre ele.Porém, só hj acessei e li alguns dos posts. Muito bom, excelente... Estarei acompanhando...

Abraços e um bj bem grande na Glaucia.

Anônimo 12 de junho de 2009 17:14  

Eu li uma entrevista alguns anos atras na revista Isto é a seguinte afirmação de um Bispo reunido em Itaici, "nós temos nossos espiões nas 13 principais igrejas evangélicas do Brasil" .Eu imagino que os batistas estejam incluidos.
E fico pensando se vc não seja um deles.
Porque não cria uma convenção pra vc , já que o progresso batista chegou até aqui independente de sua contribuição.
Só acrescenta coisas ácidas , não dá uma opinião sadia a nada.
Não parece uma pessoa feliz

Batista de Direita. 14 de junho de 2009 21:25  

Caro anônimo, se a convenção tivesse mais pastores como o Edvar, os batistas estariam bem melhor.

Seria muito fácil ele "criar" uma nova convenção, mas isso é covardia. É isso que as pessoas fazem, ao invés de lutarem para melhorar, elas saem e causam divisão.

Espero que o pastor Edvar continue contribuindo para melhorar a nossa convenção batista brasileira.

juziani 21 de junho de 2009 11:01  

Hoje é meu 1º acesso ao seu Blog e me deliciei lendo quase tudo e de um nível muito bom. Especificamente quero lamentar o fato de muitos não darem o devido valor aos meios de comunicações que dispomos nesse país e fico indigada em saber que alguns sequer pegam um jornal quanto mais outros (como explorar um bom site, etc)

antoniofeitosaramosneto 24 de junho de 2009 19:12  

"É sabido que a neutralidade de um veículo de comunicação é, geralmente, diretamente proporcional aos seus interesses econômicos". Talvez, Pr. Edvar, vc tenha querido dizer "inversamente proporcional" em lugar de "diretamente proporcional".

Abrçs,

Antonio Feitosa