sábado, 20 de junho de 2009

O Jornal Batista x Revista Veja


O Jornal Batista anunciou, em 22 de abril:



"Com o intuito de propor um diálogo com os batistas brasileiros sobre o tema Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND), o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Roberto Mangabeira Unger, conversou na última semana com o presidente da Convenção Batista Brasileira (CBB), pastor Josué Mello Salgado.


Também participou do encontro o presidente da Convenção Batista do Distrito Federal (CBDF), diácono José Júlio dos Reis.


Mangabeira Unger afirmou que deseja transformar as "igrejas" em interlocutoras no processo de discussão do PND. Sua intenção, com esta iniciativa, é ter um fórum de debate com a CBB no qual ele apresentará suas propostas e as submeterá ao debate e à contribuição dos batistas brasileiros.


O ministro deseja promover tal debate o mais rápido possível e o mais distante possível de 2010, pois o objetivo não é político-partidário ou eleitoral.


José Júlio dos Reis ficou incumbido de organizar o fórum, que deve começar no máximo em junho. O mesmo deve acontecer em uma noite de segunda-feira no Auditório Éber Vasconcelos, da Igreja Memorial Batista de Brasília.


O pastor Júlio Borges de Macedo Filho foi convidado para falar sobre o tema "A contribuição dos batistas brasileiros para um projeto nacional de desenvolvimento".


É importante frisar que o fórum não tem qualquer cunho político-partidário ou eleitoral."




A Revista Veja publicou em 10 de junho:
(Edição 2116 - Ano 42 - Página 150)


"Agora, perto de completar 62 anos, está decidido a passar ao plano hílico e tornar-se ele mesmo o porta-voz de suas convicções. Em outras palavras, quer ser candidato à Presidência da República. E já comunicou a pretensão ao chefe. Como reagiu Lula? A resposta vem ao estilo Unger: "O presidente está acostumado a adivinhar as motivações dos que o cercam. Como destoo dos que o cercam em alguns aspectos, não sei se ele compreendeu as minhas" (tradução livre: Lula achou que a ideia não tem cabimento).



A candidatura à Presidência é um sonho antigo – Mangabeira chegou a lançar-se pré-candidato ao cargo em 2005, pelo nanico Partido Humanista da Solidariedade. Atualmente, está no Partido Republicano Brasileiro e pode procurar outra agremiação que encampe o seu projeto pessoal.


Embora evite falar dele abertamente, está convencido de que, da mesma forma que Mangabeira Unger está preparado para o Brasil, o Brasil está pronto para Mangabeira. "O povo brasileiro tem suficiente maturidade para aceitar meu sotaque estranho e minhas roupas de presbítero, como elas já foram classificadas." De resto, o filósofo diz estar habituado a críticas.



A humanidade é cética quando encontra uma mensagem transformadora, gosta de repetir. E costuma submeter à desconfiança e ao ridículo seus porta-vozes. Mangabeira Unger vem a público se oferecer para o sacrifício. "


E agora, depois de ler o texto da Veja, você continua acreditando que a aproximação do Ministro com os batistas não tem qualquer relação eleitoral, como declara OJB ?
Você acredita que a publicação em OJB é pura ingenuidade? Se não for ingenuidade, o que seria?

Deixe seu comentário!

2 comentários:

Willians Moreira 21 de junho de 2009 18:01  

E olha que o JB é porta-voz da denominação. No mínimo, quanta ingenuidade! Mas não acredito que seja somente isso. Tem muito mais nos bastidores ou não?

Emerson Araujo 21 de junho de 2009 20:21  

Primeiro, criar um cargo para dr a Mangabeira foi mais uma das alucinações do governo Lula.
Segundo, espero que a independência de qualquer tipo de governo um dos nossos principios seja mantida, mas que isso não impeça os batistas de lutarem por um mundo socialmente justo e igualitário.
Terceiro, um projeto de desenvolvimento social para o Brasil pode ser realizado sem a participação direta do governo.
Quarto, se houver esse interesse contem com minha luta.