segunda-feira, 25 de maio de 2009

Viver

Manhã, tarde e noite,
Manhã, tarde e noite,
Manhã, tarde e noite,
Manhã, tarde e noite...

Dia, mês e ano,
Dia, mês e ano,
Dia, mês e ano,
Dia, mês e ano...

Por que ser bom?
Por que ser mau?
Por que ser diferente?
Por que ser igual?

Experiências estranhas...
Sensações contraditórias...
Compromissos absurdos...
Sentido irracional...

Leis, regras, normas e costumes...
Liberdade, comunhão e consciência...
Correntes, cadeados, muros e arames...
Decisões, malícia e inocência...

11/06/98
Edvar Gimenes de Oliveira
Cpyright

1 comentários:

Glau 25 de maio de 2009 20:04  

Você sempre surpreende na maneira de expressar sua vontade de liberdade, de expressaro que sente, de ser gente, de dizer a que veio e conseguiu. Lindo poema. Um bj Gláucia